Imagem1.png
  • Tati Barros

Tudo o que você precisa saber sobre glúten

Atualizado: 5 de Ago de 2020



Vez ou outra, um alimento ou componente é alçado ao posto de vilão da saúde. E foi isso que aconteceu com o glúten. De repente, diversas pessoas passaram a tirar por completo da dieta alimentos que possuem essa proteína, sem nem ao menos entender, de fato, os efeitos dessa proteína em nosso organismo. E, afinal de contas, o glúten realmente faz mal?


Nesse artigo, vamos explicar todos os efeitos do glúten no organismo e apontar em quais alimentos ele está presente.


O que é o glúten?


Antes de qualquer coisa, é fundamental entender do que se trata o glúten. Ele é uma proteína que é encontrada naturalmente em vários cereais, como o trigo, a cevada e o centeio. Sua função, basicamente, é ajudar esses alimentos a nutrirem suas sementes durante a germinação.


Além disso, o glúten ajuda a conferir elasticidade às massas. Por exemplo: ao fazer o pão (que leva farinha de trigo), o padeiro sova a massa e, com isso, é criada uma rede de glúten, que é capaz de prender o gás carbônico. E é isso que faz com que o pão cresça e fique macio.


Mas, afinal, o glúten faz mal?


Vamos responder de uma vez a pergunta que não quer calar!


O que acontece é que o glúten é a única proteína que o corpo humano não é capaz de digerir. Com isso, nosso sistema imune entende que ele é uma bactéria e o atacam, o que causa uma inflamação. Embora na maioria das pessoas, essa reação não cause danos, em outras, os efeitos podem ser mais graves.


É importante dizer que, a retirada por completo de qualquer tipo de alimento da sua dieta deve ser feita, apenas, por recomendação médica ou de um nutricionista.

Muitas pessoas optam por tirá-lo, já que ele está presente em alimentos calóricos e que possuem um índice glicêmico alto, como massas, biscoitos e pães, o que pode levar a um ganho de peso. No entanto, nesse caso, o problema é o carboidrato simples, e não, necessariamente, o glúten.


Eliminar totalmente o glúten, de forma indevida, pode, por exemplo, causar ansiedade ou, até mesmo, depressão, por ter efeitos fisiológicos no intestino. Além disso, pode provocar alterações hormonais e causar falta de saciedade, insônia e alterações de humor.


Mas, se feita de maneira adequada, sem dúvidas, os benefícios poderão ser muitos. Por isso, vale a pena consultar o seu nutricionista.


Quem não deve consumir glúten?


Chegamos ao ponto X. É verdade que há pessoas que não podem consumir alimentos que contenham glúten. Essa exclusão deve acontecer, especialmente, em dois casos: quando há sensibilidade ao glúten ou a pessoa é portadora de doença celíaca. Vamos explicar cada um:


Doença celíaca: trata-se de uma reação imunológica ao glúten, uma vez em que a proteína não é digerida pelo corpo. O que acontece é que o sistema imunológico do celíaco reconhece o glúten como um inimigo e ataca atingindo o intestino delgado. Isso pode causar diarreia crônica, náuseas, vômitos e uma grave inflamação. Essa é uma doença incurável e a única forma de controlá-la é tirando por completo o glúten da dieta.


Sensibilidade ao glúten: nessa situação, o que acontece é um desconforto quando há o consumo da proteína. Os sintomas podem ser diarreia, gases e dor de cabeça. No entanto, não há dano ao intestino e a exclusão temporária ou diminuição da ingestão pode controlar o problema.


Além disso, o glúten também é prejudicial para pessoas que possuem Síndrome do Intestino Irritável e alérgicos ao trigo. Estudos mostram ainda que portadores do espectro autista também se beneficiam de uma dieta livre de glúten.


Quais alimentos contêm glúten?


Alimentos que levam trigo na receita, como pães, massas, cereais, molhos, biscoitos, bolos e tantos outros.


Cevada: produtos que possuem malte, como farinha de cevada maltada, leite maltado, extrato de malte, xarope de malte, aromatizante de malte e vinagre de malte. Entram na lista ainda de itens com cevaja alguns corantes, sopas e cerveja.


Centeio: pão de centeio, cerveja de centeio e cereais.


Aveia: naturalmente, a aveia e outros cereais não contêm glúten. No entanto, é importante ficar atento aos rótulos, pois pode haver uma contaminação cruzada, uma vez que esses alimentos costumam ser cultivados, armazenados e transportados juntos.


O novo Glúten


O glúten, presente em grãos como trigo, cevada, centeio, triticale e espelta, é uma das proteínas mais consumidas desde a Antiguidade. No entanto, hoje esses alimentos não mantêm todas as suas características originais. O problema principal são os grãos modificados que são consumidos atualmente, com cruzamento genético, hibridização, para o aumento da produtividade. Atualmente, esses alimentos contêm não só farinha de trigo, como também, mais adição do glúten, como ingrediente.


Os produtos Santa Pausa contêm glúten?


Não. Nossos produtos são livres dessa proteína. Além de não usarmos alimentos que possuem o glúten em suas composições, um dos grandes cuidados que nós, da Santa Pausa, tomamos em nossa produção é para que não haja a contaminação cruzada (nesse artigo, explicamos melhor todos os nossos cuidados com isso). Por isso, todos os nossos produtos são 100% indicados por quem possui sensibilidade, intolerância ao glúten ou que simplesmente deseja reduzir o consumo desse item que pode causar danos ao organismo.






8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Vamos fazer uma pausa!

 Este é nosso espaço cheio de conteúdo bacana para você se informar e relaxar. Falaremos de saúde, bem estar, alimentação saudável e também publicaremos receitinhas saudáveis mara para você curtir com amigos e familiares.

Respire fundo, faça uma pausa e aproveite a experiência!  

Institucional

ASSINE GRÁTIS

 Fique por dentro das novidades e receba nosso conteúdo em primeira mão!
 

© 2020 por SANTA PAUSA