Imagem1.png
  • Tati Barros

Conheça os perigos do propionato de cálcio

Atualizado: 12 de Ago de 2020



Quem tem costume de comprar alimentos industrializados sabe que esses itens, em sua grande maioria, contam com conservantes para aumentar o seu tempo de "vida útil". No entanto, o que muita gente ignora é como algumas dessas substâncias podem ser prejudiciais à nossa saúde. É o caso do propionato de cálcio.


O que é o propionato de cálcio?


O propionato de cálcio é um sal conservante, originário do ácido propiônico. Esse item é amplamente usado na área da panificação, por inibir a proliferação de fungos e outros microorganismos. Com isso, evita-se o surgimento de mofos e os produtos podem ficar mais tempo expostos para venda.


Até aqui, parece que só tem benefícios o uso do propionato de cálcio, né? Mas não se deixe enganar pela apresentação. Vamos te contar agora todos os riscos dessa substância e você vai entender porquê os produtos da Santa Pausa não contêm esse tipo de conservante. Confira:


Maior propensão à obesidade


Um estudo publicado pela revista Science Translational Medicine revelou que o consumo de propionato poderia elevar os níveis de hormônios envolvidos na regulação do peso corporal, o que levaria à obesidade.


Risco de diabetes


Além disso, segundo um outro estudo disponível no site National Library of Medicine, o conservante aumentaria os riscos de uma pessoa desenvolver diabetes tipo 2. Isso aconteceria porque sua ingestão está vinculada ao aumento da produção de insulina e glucagon, um hormônio que estimula a liberação de glicose (açúcar) no sangue.


Possível mudança comportamental em crianças


O "Journal of Pediatric Child Health" publicou, em 2002, uma pesquisa que identificou que, embora o propionato de cálcio possa ter pouco ou nenhum efeito colateral em uma pessoa comum, a exposição crônica, especialmente em crianças, pode induzir uma miríade de mudanças comportamentais.


O estudo analisou dois grupos de crianças: o primeiro manteve uma dieta rigorosa sem aditivos alimentares. Já o segundo consumiu todos os dias, o pão tradicional. O ensaio identificou "irritabilidade, inquietação, desatenção e distúrbios do sono em algumas crianças”. Segundo os cientistas envolvidos no estudo, esses sintomas podem ter sido causados ​​pelo conservante presente no pão e que, tais mudanças parecem ser reversíveis quando o conservante é removido da dieta.


Tendência ao desenvolvimento de úlceras


De acordo com o site HealthAssist, o consumo regular de propionato de cálcio pode danificar permanentemente o revestimento do estômago. As consequências disso são o desenvolvimento de gastrite e úlceras graves.


Contribuição para a piora do autismo


Pesquisa realizada, em 2011, pelo BMC Gastroenterology, indica que consumo excessivo de propionato de cálcio pode contribuir ainda para o desenvolvimento e piora do distúrbio do espectro do autismo (ASD). Isso acontece devido ao seu impacto no microbioma intestinal, já que gera uma inflamação que atinge as bactérias benéficas do organismo. Em pessoas comuns, isso não gera grandes consequências, no entanto, em pacientes com TEA (Transtorno do espectro do autismo), as condições do intestino são mais variáveis e requerem controle especial.



Por tudo isso, esse conservante não faz parte das composições dos produtos da Santa Pausa. Nosso compromisso, sempre, é com a saúde dos nossos clientes. Por isso, estamos em constantes pesquisas para escolher as melhores alternativas.


3,027 visualizações1 comentário